Calvície: Como Ocorre, Tipos e Alopecia Androgenética

O que é calvície?

A calvície costuma gerar muita preocupação entre os pacientes, e há um excesso de desinformação sobre o assunto. Alguns pacientes acreditam, por exemplo, que a técnica cirúrgica utilizada para o implante capilar ainda deixa resultados artificiais.

follixin-saiba-mais

Existe uma confusão com relação à calvície. Enquanto ela é hereditária e ligada a um fator hormonal, a maioria das outras formas de queda de cabelo são reversíveis, ou seja, poderão ser revertidas por meio de tratamentos que eliminem os efeitos causadores do problema.

A calvície é um problema que também pode provocar consequências psicológicas, afinal de contas, quando o indivíduo não se sente bem, ele fica propenso a se retrair, o que prejudica a comunicação social e contribui para a baixa da autoestima, comprometendo toda a saúde corporal. Quando a parte psicológica não está bem, a física também tende a apresentar complicações, o que pode gerar um complicado círculo vicioso.

Como ocorre a calvície?

A calvície provoca uma miniaturização dos fios, característica que não está presente em outros tipos de quedas de cabelo. Na calvície os fios afinam antes de caírem. Desse modo, caso a queda capilar esteja relacionada a fios mais espessos, o indivíduo afetado poderá tentar efetuar um tratamento para recuperá-los. Em contrapartida, os cabelos bastante finos que caem dificilmente voltam, uma vez que estão mortos.

Causas da calvície

A calvície é estimulada pela presença de um gene, e a existência desse gene receptor instalado na raiz do cabelo e do hormônio masculino faz com que a interação entre ambos promova, gradativamente, a atrofia da raiz, o que consequentemente reduz o tamanho do fio até que ocorra a perda total dela.

Deve-se ressaltar que nem todo filho de pai calvo será, necessariamente, também calvo, pois o lado maternal é igualmente importante, assim, eventualmente, a herança da calvície poderá ser proveniente da ala feminina da família, e não da masculina. Existem filhos de pais calvos que apresentam somente uma pequena redução dos cabelos. Naturalmente, o contrário também é possível, ou seja, um indivíduo poderá ser calvo mesmo tendo pais que possuam bastante cabelo. Isso ocorre devido à influência exercida pelos avós e demais parentes próximos, que podem exibir algum grau de calvície.

causas-calvicie

Como saber se estou ficando careca?

A calvície poderá ser detectada precocemente. Primeiramente, o médico analisará o histórico familiar do paciente, verificando se existe algum indivíduo da família que possua algum grau de calvície. O histórico médico do paciente é o aspecto mais importante para a suspeita do problema. Em seguida, poderão ser solicitados alguns exames laboratoriais, e deverá ser analisado a espessura dos fios de cabelo, tendo em vista que os cabelos que não mais voltam, na verdade sofrem um afinamento. Assim, os fios localizados nas áreas atingidas pela calvície apresentam diminuição de densidade, inclusive com perda de coloração. Todo esse processo é denominado miniaturização dos fios.

Na calvície, os fios minituriarizados ficam como se fosse uma penugem, enquanto que na maioria das demais quedas de cabelo o fio acaba caindo quando longo. Assim, a miniaturização dos fios facilita a dedução médica quanto ao quadro do paciente.

O TrichoScan é um exame efetuado por meio de um aparelho desenvolvido nos Estados Unidos capaz de avaliar os fios de cabelo e definir se há a referida miniaturização dos fios, contribuindo para a certeza de que aquele paciente está apresentando calvície.

O diagnóstico da calvície nas mulheres é mais difícil. Dessa maneira, é fundamental que o especialista detecte claramente que o caso da respectiva paciente aponta para o problema. Isso é importante para que ela possa ser orientada sobre os tratamentos adequados ou até mesmo a cirurgia.

Tipos de calvície

A partir dos 40 anos, mais de 50% dos homens apresentam algum grau de calvície. O problema atinge mais homens que mulheres. Existem casos de homens que começam a notar a perda acentuada de cabelo já no final da adolescência. Há diferentes graus de calvície. Até o terceiro nível, a perda de cabelo é considerada normal, podendo ser ilustrada por um jovem que possui apenas pequenos sulcos na região frontal. A partir do grau 3 até o 7, a calvície atinge estágios que podem incomodar bastante, pois a ausência de cabelos começa a ser bastante perceptível.

Para os graus 1, 2, e 3, existem tratamentos clínicos embasados no uso de medicamentos que podem retardar o avanço desse tipo de calvície. A cura definitiva não é possível, pois na maior parte dos casos, trata de um problema causado geneticamente.

Mesmo um indivíduo que apresente uma calvície avançada, que tenha atingido um grau 5 A, continua com cabelo extremamente saudável na área posterior da cabeça. Esses fios são fortes e podem servir como um bom volume de fios para um transplante.

O grau 6 é extremamente extenso. Para cobrir uma área como essa, podem ser necessárias duas ou três cirurgias. Já considerando um paciente que contenha uma calvície predominantemente na região centro superior, grau 3 Vertex, percebe-se que a área afetada é menor. Assim, por meio de um procedimento cirúrgico com uma equipe bem qualificada, pode-se fazer a cobertura total da calvície.

Quem tem histórico familiar que indique evolução da calvície para graus 6 ou 7, independentemente de seus hábitos de vida, tem grandes chances de que sua calvície evolua até esses níveis, porém, o filho de um pai calvo, por exemplo, não necessariamente apresentará o mesmo nível de calvície. Na verdade, ela poderá se manifestar em menor, igual, ou até maior grau. Além disso, também não existe conformidade de períodos para que ela aconteça. Isso significa que o filho poderá desenvolver a calvície em épocas diferentes em comparação ao que ocorreu com o pai. Nesses casos, o indivíduo poderá até mesmo utilizar remédios que possam desacelerar o processo, porém, mesmo tomando essas preocupações há uma grande probabilidade de surgimento da calvície. Caso esses pacientes não cuidem da saúde de seu couro cabeludo, tratando a seborreia e a oleosidade em excesso, a queda poderá ser antecipada.

Alopecia androgenética

O nome técnico atribuído ao maior processo causador da calvície é alopecia androgenética, “andro”, pois a doença acomete mais os homens, e “genética” devido à herança homônima. Geralmente, indivíduos calvos possuem familiares, como avós e tios, que também sofreram com algum grau de calvície. Porém, o tratamento cirúrgico pode ser eficaz até mesmo em algumas calvícies avançadas.

Alopecia em mulheres

Diferentemente da calvície masculina, que evolui de sulcos próximos à fronte para a região da coroa, a calvície em mulheres causa uma rarefação na parte superior da cabeça, que poderá progredir até ocorrer a calvície completa nessa mesma região, mantendo a parte frontal preservada. Este é o padrão tipicamente feminino, mas é claro que existem variações.

Nos consultórios que se dedicam ao tratamento da calvície, a frequência do público feminino é de cerca de apenas 5% do total de pacientes. A procura é menor devido a alguns fatores. Primeiramente, a mulher tende a ter um cabelo maior, o que ajuda a ocultar o problema por meio de penteados específicos. Em segundo lugar, existe certa desinformação, muitas vezes, a mulher não sabe que um determinado tratamento pode ser também aplicado a ela.

A gênese da alopecia feminina é similar à masculina e também existe uma relação hormonal. No entanto, no caso da mulher é fundamental que antes de procurar por um tratamento cirúrgico seja feita uma pesquisa acerca de outras possíveis causas clínicas, como doenças da tireoide, anemia profunda, desnutrição e outros fatores que possam provocar a queda capilar.

Mitos e verdades: calvície

Bonés, capacetes e gel causam calvície?

A crença de que o uso de bonés, capacete de motocicleta e gel favorecem o processo de calvície é mito, já que o principal componente desta é genético. Na realidade, esses hábitos apenas podem prejudicar o pós-operatório de quem fez implante capilar. Desse modo, quem tem uma cabeleira privilegiada e não possui uma genética que favoreça a calvície poderá andar de motocicleta e passar horas sob o sol usando capacete, e mesmo assim seu cabelo não irá cair. Por outro lado, aqueles de tenham uma genética favorável à calvície, por mais que jamais usem gel e capacete, tendem a apresentar algum grau do problema.

Alguns tipos de shampoo causam calvície?

Não existem shampoos, cremes, ou loções que sejam contraindicadas devido a uma suposta contribuição para a queda do cabelo. Na verdade, essas crenças são mitos, como muitos outros relacionados ao uso de determinadas substâncias. A existência de muitos mitos se deve ao difícil tratamento da calvície, um problema geneticamente determinado e que, o ato de impedir a queda ou promover o crescimento se torna algo muito difícil do ponto de vista medicamentoso.

>> Clique aqui para saber mais sobre tratamentos para queda de cabelo <<

Comments are closed